17.12.08

Tem gente que aprende enquanto ensina

Peço-lhes licença para publicar uma mensagem muito pessoal, de tão pessoal que tem que ser pública, assim dessa maneira. Trata-se da despedida do Coordenador Pedagógico com quem trabalhei nos últimos 3 anos e meio e que muito me ensinou. Como não tive condições de fazê-lo pessoalmente, registro aqui esta pequena homenagem ao José Ricardo Marcondes Paim:


Mestre,

Gostaria de registrar minha gratidão pelos anos de convivência profissional. De agora em diante ela se dará apenas na qualidade de amigo, não mais na de profissional, mas a amizade e o respeito que cultivamos neste tempo não terminam aqui, só se fortalecem.
Hoje, Jaiminho ficou sabendo de sua saída e ameaçou chorar. Tranquilizou-se quando disse que você saiu do Pueri, mas não deixou de ser nosso amigo.
É assim que sinto, por isso uso meu espaço, que é público, para a despedida formal. Não tive coragem de fazê-lo pessoalmente.
Considero-me privilegiado por ter contado com grandes mestres na minha vida: meu pai, o maior deles, pois dele trago aquilo que escola nenhuma poderia ter me ensinado como ele o fez; alguns saudosos professores da escola básica, poucos é verdade; na Universidade marcaram-me Milton Santos, Manoel Seabra, Regina Sader, André Martin, Aziz Ab’Saber, Amália Ignez, Nídia Nacib, José Sérgio, dentre tantos outros; na política a formidável figura de Florestan Fernandes, além dos companheiros que entregaram os melhores anos de suas vidas para a construção da CUT e do PT, não esta CUT e este PT de hoje, nossos sonhos eram outros; finalmente na minha profissão pude conviver com educadores maravilhosos e dedicados ao ofício, uns famosos, outros nem tanto, mas todos verdadeiros mestres.
Você está neste restrito e seleto grupo de mestres, dos quais guardarei o muito que me ensinaram e o pouco que consegui aprender, sendo-lhes grato para sempre.
Sua generosidade em compartilhar os seus saberes, sua maneira doce de liderar e de conquistar o respeito daqueles que coordena, o humor refinado e sutil, são invejáveis e inesquecíveis.
Desejo-lhe sucesso nos seus novos caminhos!

Grande abraço amigo Paim!

8 comentários:

Anônimo disse...

Querido Paim,
Concordo com o Toni e tenho orgulho de ter trabalhado durante estes cinco anos sob sua coordenação.

Guardo na memória e no coração a pessoa sempre pronta para ouvir, aconselhar, palpitar, questionar, instigar... Quero que saiba que inspirou muitas de minhas leituras, dos filmes aos quais assisti e dos lugares que visitei. Só tenho a agradecer!

Vou usar uma de suas 'falas', Paim: "Você é de verdade!"

Parece que também não conseguirei me despedir...

Grande abraço
Kátia

Anônimo disse...

Descrever a falta que o Paim fará é muito difícil, o melhor e lembrar dos momentos de cantoria, brincadeiras...

Pessoas assim são facinantes, inesquecíveis, Paim você jamais deixará o meu coração e a minha memoria.

Lisete Maria disse...

Querido Paim,
Também concordo com o Toni que tão bem expressou o que você representa para nós - um exemplo de vida.
Vai ser muito difícil chegar todos os dias de manhã e não vê-lo no Ensino Médio, não escutar as suas "melodias" na hora de subir para as aulas, não mais ser chamada de "fada" ou de "inglesa", não mais conversar e trocar idéias sobre livros e peças teatrais durante alguns momentos livres na hora do intervalo.
É Paim, você vai fazer muita falta... mas tenho a certeza de encontrá-lo como Amigo em muitos outros momentos e lugares.
Muito sucesso e um grande abraço com todo o meu carinho,
Lisete Maria

Marina Gama disse...

Paim,
fiquei muito chateada quando soube que você nao ficará mais no Pueri..

Tive você como coordenador durante os três anos do meu colegial e voce teve muita importancia na minha formação.. como o Toni disse um verdadeiro mestre.
Que nos ensinou muito. Tanto para a futura faculdade como para a vida.

TE desejo muita sorte "baby" !!

Gosto muito de você.

beijos Marina Gama

Marcello disse...

Paim,

Fiquei chocado ao saber da notícia.. Voce sempre foi uma figura muito alegre, amiga, motivadora e conselheira e fará muita falta. O mínimo que posso fazer é agradecer tudo o que fez para a minha formação no pueri.

Lembro quando o conheci. Estava na oitava serie, você entrou na sala e tocou uma música clássica, falou para fecharmos os olhos para conseguirmos de fato apreciar a música. Nos deu conselhos para a vida. Ousar, ser diferente. Valorizar livros, filmes. Mostrava interesse nos alunos, tanto como um grupo quanto individuo. Você, como todos os professores do pueri, ficará para sempre em minha memória.

Quando voltar ao pueri para rever os professores, sentirei sua falta. Espero ainda te encontrar em outras ocasioes!

Um grande abraço,
Marcello S. H. Silva

Leonardo Viana Baliza disse...

Booorbulhaas...
Era como o Paim me chamava por conta de uma bela musica cantada por mim na viagem ao Vale...
Pois bem, querido Paim, sentirei tua falta como diretor e amigo que era no Pueri... Aqueles seus gritos chamando a Livia, e seu modo diferente de se comunicar com os alunos, não sendo que nem outros diretores que pensam que a escola é que nem a Ditadura Militar.
Bom, nesse comentário deve ter vááários erros de português, mas, quero demonstrar aqui minha alegria por ter tido a chance de estar contigo por 2 anos...
Abraaço e até o próximo show do Fagner....

Aroldo disse...

Falar sobre o Paim? Não, eu não quero. Quero sim guardar os bons momentos que tivemos juntos e colocar em prática o aprendizado que consegui colher dessa figura única e bela. Nunca me esquecerei do primeiro contato que tivemos, foi ele quem me entrevistou. Imagine só a cena, eu, um pouco mais tonto do que hoje...rs, sendo entrevistado por um cara que queria saber o que eu pensava a respeito da função que iria exercer, sobre o Ensino, como me comportaria sob determinada situação. Foi bacana e ao mesmo tempo desafiador, foi um bate-papo. Me orgulho muito de ser o seu "sobrinho".

Um grande abraço e obrigado

Anônimo disse...

Queridíssimos amigos, não consegui conter minhas lágrimas ao ler as lindas mensagens que vocês escreveram a partir do maravilhoso texto do Toni. Sou mesmo um chorão. Choro de tristeza e de alegria. Nesse caso foi de alegria pela demonstração de afeto que me dirigiram. É muito bom ser gostado, sobretudo por pessoas tão gente como vocês. Como disse Caetano Veloso: “gente é pra brilhar” e vocês sempre brilharão para mim. Há no meu coração um espaço aconchegante reservado para amigos como vocês. Vocês são dotados de uma das virtudes que eu considero mais importantes, a generosidade. Muito obrigado pelo carinho. Deixo aqui meu carinhoso beijo a todos os amigos que deixei no Pueri, em especial para Marina, Leonardo, Marcello, Kátia, Lisete, Aroldo, Kátia (anônimo) e, naturalmente, para o Toni.

Paim