27.3.20

Isolamento vertical: o que é isso?


Amigos amigas, muitos defendem esse tipo de isolamento, mas onde ele foi testado deu errado. No caso brasileiro ainda temos que considerar: o tamanho do território, o contingente populacional, a disponibilidade de testes para COVID 19...
Clique aqui para ter acesso a um artigo muito bom na BBC Brasil.

A economia ou vida


Tal dicotomia é verdadeira?
É assim que querem que acreditemos, seja a nossa elite escravocrata ou os milicianos fundamentalistas que ocupam cargos no aparelho de Estado.
O neoliberalismo prova, de forma inconteste, seu fracasso. Olhar para o sistema produtivo esquecendo-se da importância da vida e dos seres humanos deveria ser considerado crime contra a humanidade.
O Estado encolheu de tal forma que não consegue dar conta do básico: saneamento, saúde pública, vacinação etc. quanto mais de um caso de tal gravidade como essa pandemia.
Vivemos uma guerra, não de uns contra os outros, mas da humanidade contra a barbárie. Quem vai pagar essa conta? Como em todas as guerras a fatura será cobrada dos mais pobres, dos desamparados socialmente.
O presidente da república, assim mesmo, com letras minúsculas, seguido por seus asseclas assentados nos governos estaduais e municipais, atentam contra vida, desrespeitam os idosos e os pobres. São canalhas e criminosos!
“Nunca antes na história desse país” uma autoridade falou tanto merda quanto esse ser que ocupa o “trono”, apoiado pelos milicos e escudado em seus filhos, tão calhordas quanto.

23.3.20

É preciso salvar a economia salvando as pessoas


É hora de ação!
Precisamos salvar vidas e com urgência!
Quero ver o partido ou liderança política com coragem para defender, nesse momento. As seguintes propostas:
- Imposto sobre as grandes fortunas
- Suspensão das contas de consumo por 3 meses
- Suspensão de pagamentos dos juros da dívida pública por 90 dias
- Destinação das verbas do fundo partidário para o Ministério da Saúde
- Corte de 50% dos vencimentos dos políticos de todos os níveis de governo, destinando esse valor para o Ministério da Saúde
- Transformação dos grandes espaços disponíveis nas cidades em abrigo de emergência (clubes, escolas, templos religiosos etc.)
- Salário emergencial aos trabalhadores informais
- Retomada de todos os programas sociais abandonados nos últimos anos (Minha casa minha vida, bolsa família, Mais médicos)

Cabe ao governo soluções criativas para evitar a morte e a miséria de milhões de brasileiros e brasileiras, quem tem mais  e que sempre ganhou com a desigualdade que pague mais pela crise.
O partido que assumir bandeiras como essas terá meu voto e, creio eu, da maioria dos cidadãos e cidadãs desse país!
É tempo de lutar pela vida e não de abraçar a morte!


22.10.19

O óleo nas praias do Nordeste e o fogo na mata


O atual governo, em diversos pronunciamentos, autorizou a ampliação dos crimes ambientais no país.
Quando ele ataca os órgãos fiscalizadores, chamando-os de “indústria de multas”, quando ele trata o movimento ambiental com desprezo e desdém, ele autoriza a ampliação da ação criminosa do grande capital.
Há, inclusive, cumplicidade dos governos estaduais, alinhados com esse pensamento tosco, que nega apoio aos fiscais (clique aqui e veja o que aconteceu no Pará).
No primeiro semestre saltou aos olhos do mundo as queimadas na Amazônia. Com menor destaque, mas com a mesma gravidade, o Pantanal e o Cerrado também foram atingidos. Normalmente áreas de cultivo de pastagens e monoculturas.
Agora a Chapada Diamantina também está ardendo em chamas (veja matéria aqui).
Mais recentemente, a coisa de dois meses, veio o óleo nas praias do Nordeste, com um ensurdecedor silêncio da mídia sobre o tema nos primeiros dias.
O governo fascista acusou, sem provas ou indícios, a Venezuela e permaneceu inerte, sem nenhuma ação de contenção ou limpeza.
Com o tempo o logotipo da poderosa Shell apareceu nos barris encontrados e o desastre atingiu todo o litoral nordestino, atingindo sua economia e a vida marinha.
Não se sabe ainda a origem do óleo, mas o que  chama a atenção é a inércia e imbecilidade reinante na área do Meio Ambiente do governo federal, que tem como Ministro um condenado por crimes ambientais. Clicando aqui você lê matéria abrangente sobre oq eu o governo deveria ter feito e não fez.
Possuímos tecnologia e expertise suficientes para mitigar tais danos. Poderíamos ainda solicitar ajuda de outros países para o fornecimento de imagens de satélites, fundamentais para montar estratégia de defesa e ainda localizar a origem da ação criminosa.
Mas só ouvimos e lemos bobagens e mentiras do governo federal, o que não nos surpreende, pois a mentira e o diversionismo, além da ignorância e do desprezo pela ciência e pela técnica, está no DNA desse grupo que no poder.
Aqui Yara Schaeffer Novelli, doutora e professora sênior da Universidade de São Paulo (USP), oferece esclarecimentos, além da alimentar nossa indignação, sobre esse recente crime na costa brasileira, em excelente matéria para o blog Vi o Mundo.
Não é preciso “torcer contra”, mas sim torcer para que ainda tenhamos um país se esse governo for até 2022.

15.10.19

Mais um dia do professor


Hoje comemoramos mais um dia dos professores e, como presente, recebemos a notícia da aprovação do projeto “Escola sem Partido” pelos vereadores de Belo Horizonte (clique aqui e leia a matéria sobre a aprovação).
Também soubemos que 66% dos professores e professoras já precisaram se afastar da sala de aula por problemas de saúde (clique aqui e saiba mais).
Ao mesmo tempo as cruéis reformas trabalhista e da previdência social impactam nossa carreira de modo assustador, embora atinja também todos os trabalhadores, sobretudo os mais pobres.
A ignorância é motivo de orgulho para muitos cidadãos e cidadãs, que “aprendem” no grupo de WhatsApp da família e no Youtube.
O preconceito, de todos os tipos, são expressos em praça pública por autoridades e pessoas comuns como se fosse a coisa mais normal do mundo.
Em 1993 assumi minhas primeiras turmas de ensino fundamental, médio e de magistério. Já tinha passado por várias experiências profissionais e abracei o magistério já com 30 anos.
As aulas eram um sopro de renovação constante. Os problemas eram imensos, os desafios também, mas a alegria de estar com os adolescentes no dia a dia era muito renovador em inspirados. Também divertido.
A sociedade mudou rapidamente. A sala de aula também. Fui me adaptando e, como nos ensinou o mestre Paulo Freire, fui aprendendo. Às vezes com os os jovens, outras vezes com os colegas e outras ainda por mim mesmo.
Aprendi muito com meus alunos e minhas alunas. Nesse percurso me tornei uma pessoa melhor graças a convivência com esses jovens. Tenho recordações que guardarei para sempre.
Sinto que nos últimos anos e principalmente com o crescimento das redes sociais tudo ficou mais difícil.
De 2014 para cá a deterioração do ambiente escolar foi muito rápido, assim como da sociedade.
Os grupos de whatsapp viraram armas de propagação de fakenews. Na escola pública, destruída paulatinamente pelos governos que se sucedem aumentaram os casos de violência.
Nas escolas privadas a pressão do mercado fez com que o trabalho fora da sala de aula aumentasse bastante, principalmente por conta dos recursos de EAD e das novidades pedagógicas. Nem bem aprendemos a novidade de janeiro e já temos outra em fevereiro.
Enquanto isso nos acusam de doutrinadores, manipuladores e agentes do mal.
Tenho a sorte de, nesse final de carreira, estar numa escola na qual a relação com a grande maioria dos alunos é carinhosa e afetuosa.
Mas reconheço que está difícil...

12.1.19

O golpe já dava sinais de vida em 2007


Considero o momento pelo qual passamos hoje no Brasil como sendo fruto de um golpe de Estado, com origens ainda no primeiro mandato do presidente Lula.
Não como aqueles dos anos de 1950/1960, com os brucutus nas ruas, tanques e mandatos cassados, mas de outro tipo, com apoio da mídia e financiado pelo país hegemônico na América Latina.
Quando as ditaduras destas bandas definharam, nos anos de 1980, as forças democráticas ganharam fôlego e obtiveram sucesso nas urnas, a ponto de, no início dos anos 2000 ocuparem a cadeira presidencial de vários países da América do Sul.
Parecia que a hegemonia dos EUA nesse pedaço do seu eterno quintal estava ameaçada.
Rapidamente a máquina da geopolítica dos EUA se reinventou.
A meu ver o ensaio foi o Mensalão, processo amplamente manipulado pela Mídia e dominado pelo Judiciário. Lula escapou por pouco, mas o estrago na estrutura do PT foi imenso, sem que se conseguisse sequer arranhar o modus operandi do sistema político que permitiu ao país chegar aquele estado de coisas.
O primeiro caso de sucesso apoiou-se numa estrutura do sistema vigente, que fez de Lugo, no Paraguai, sua primeira vítima, num processo de impeachment em tempo recorde. (clique aqui para saber mais)
O impeachment da presidenta Dilma foi a coroação do processo (clique aqui para ler uma excelente análise do impeachment). Teve sua faceta institucional midiática, mas foi alimentado pelas redes sociais e, obviamente, contando com generoso patrocínio de “ONGs” estadunidenses. 
As grandes manifestações de 2013, que não eram só por conta dos R$ 0,20 do aumento da passagem dos coletivos, mas sim “contra tudo isso que está aí” foi o ponta pé inicial.
Não conseguiu impedir a reeleição da presidenta, mas foi fator determinante em tudo que se seguiu até o seu impedimento em 2016.
Fatos semelhantes, com pequenas variações, ocorreram na Argentina e no Equador.
Em 2007 publiquei nesse blog um texto sobre o tema:
As críticas que devem ser feitas ao governo Lula
São inúmeras as críticas que devem ser dirigidas ao atual governo.
Fisiologismo continua sinônimo de governabilidade.
Os praticantes da “democracia de resultados”, aquela que fornece cargos e acesso as negociatas com o dinheiro público, apossaram-se de boa parte da máquina pública.
O executivo mostra-se indeciso para enfrentar o poder da mídia golpista, dos monopólios e do sistema financeiro.
A distribuição da renda e melhoria do acesso aos bens públicos, como educação e saúde, são de uma timidez brutal ante as necessidades do país.
Ainda assim devemos tomar cuidado ao tecer essas críticas, pois corremos o risco de engrossar o caldo da direita raivosa.
Tenho consciência de equívocos cometidos pelo governo e pelo principal partido da base aliada, o PT, mas não consigo perder o temor do GOLPE!
Para ler o texto completo, acompanhado de uma análise de Marco Aurélio Weissheimer da Agência Carta Maior, é só clicar aqui.

8.1.19

Uma breve análise do período petista

Os governos Lula e Dilma trouxeram inúmeros benefícios ao povo brasileiro, mas pouco alteraram as causas estruturais da desigualdade social no Brasil.
Os rentistas continuaram nadando de braçada, não houve reforma agrária, portanto a concentração fundiária continuou nos mesmos patamares.
O ganho real do salário mínimo foi modesto, a diminuição da pobreza e da pobreza extrema, fato mais notável dos governos petistas, se deu por meio do Bolsa Família, por exemplo.
No campo educacional houve significativa expansão do ensino universitário federal e do acesso das camadas mais pobres da população por meio de inovações como o incremento do FIES, a criação do PROUNI e o ENEM como instrumento de ingresso, principalmente nas instituições federais.
O Nexo Jornal elaborou uma série de gráficos com indicadores do período. Reparem como a partir da reeleição de Dilma a coisa desanda. Clique aqui para ler.
Convém lembrar do papel do candidato derrotado, que não só torceu contra (leia aqui e aqui), mas desdobrou-se para impedir as ações de governo no Congresso e as tais pautas bombas (aqui e aqui) do Cunha e asseclas.
Claro que faltou habilidade política para Dilma contornar tudo isso e pesou sobremaneira a estratégia do PT de colocar-se sempre na defensiva, desde o período do Mensalão.

12.1.17

Mais uma crise?



  






     A expressão "crise" faz parte do meu vocabulária desde a infância.
     Foram tantas, às vezes umas emendadas as outras, mas sempre quem mais sofreu, em todas elas, foram os pobres e mais humildes.

     Temos um Estado que não acolhe os desafortunados e privilegia os mais bem aquinhoados pelo capital.
     A elite é perversa e entreguista, a classe média é ignorante – e se orgulha disso – e os pobres são prisioneiros de uma mídia manipuladora e hipócrita.
     O país está se dissolvendo, as empresas mais competitivas, com exceção do sistema financeiro, vão sendo, vagarosamente, transferidas para o capital estrangeiro.
     Essa orquestração, que visa nos devolver o status de quintal dos EUA – mas não aquele quintal onde plantamos árvores frutíferas e nos divertimos, mas sim naquele onde se lançam os dejetos –, começou com a ascensão dos BRICS.
     No campo social os direitos dos trabalhadores e o tímido avanço das últimas décadas são solapados cotidianamente.
     A mídia vai tolhendo a boiada rumo ao matadouro de forma cínica e cretina.
     Assim somos levados a acreditar que somos os culpados pela crise atual. Diminuem o orçamento na saúde, na educação, na assistência social… Mas, ao mesmo tempo perdoam os sonegadores, sejam do agronegócio ou das grandes empresas.
     O (des)governo golpista lança balões de ensaio a todo momento, mas vai atuando de maneira concentrada nos setores escolhidos pelo capital financeiro.
     A primeira ação se dá contra o sistema previdenciário.    Mentem descaradamente e as opiniões contrárias não encontram expressão na mídia hegemônica.
     Leiam o texto que se segue e divulguem em todas as suas redes sociais.
Em tese de doutorado, pesquisadora denuncia a farsa da crise da Previdência Social no Brasil forjada pelo governo com apoio da imprensa

5.11.15

Ciro Gomes pra presidente! (podem bater à vontade!)

           Amigos e amigas, segue um pequeno desabafo/reflexão via Facebook.
Semana particularmente cansativa muitas provas, para elaborar e corrigir, muito trânsito, muito barulho insuportável nessa cidade que me atemoriza a cada minuto.
O pior de tudo é aguentar as inúmeras sandices, quer sejam as reais, quer sejam as virtuais. São tantos néscios se manifestando como se intelectuais fossem que faz transbordar a paciência, mesmo de um capadócio.
Preconceitos no varejo e no atacado! Haja...
Machistas, sexistas, racistas e outros tantos imbecis perderam a modéstia, se expõem como se isso fosse bacana. Sem contar os "humoristas", que só fazem rir os idiotas.
Na política a coisa tá feia!
Às vezes fico em dúvida se os erros cometidos por Dilma e sua trupe são fruto de incompetência política/administrativa ou se é isso mesmo, ou seja, se fazem essas coisas escrotas de forma pensada e acabada.
Claro que esses erros não destroem os inúmeros acertos.
Hoje ouvi, com alegria, algumas alunas de terceiro ano afoitas para partirem para uma universidade federal fora de São Paulo, não por imaginarem que seria mais fácil obter uma vaga, mas por desejo de encontrar-se com esse outro Brasil, interiorano, sertanejo e latino-americano.
Minha intuição diz que meu candidato hoje seria o Ciro Gomes.
Estou esperando as bordoadas dos amigos e amigas. Sei que vou apanhar tanto de petistas quanto dos amigos e amigas da EE (extrema esquerda).
Mas penso que Ciro reuniria forças para enfrentar essa manada conservadora. Faria de tudo para não apagar o legado construído pelos governos petistas no NE, além de trazer alguns elementos desenvolvimentistas, principalmente se sua ideia de atacar os privilégios do sistema financeiro for pra valer!
O discurso de Ciro me lembra um pouco do Brizola, que tanta falta faz nesse cenário de omissos e covardes, que se calam ante a mídia de esgoto e só fazem querer figurar nas páginas amarelas da Veja (que mentira!)!
Boa noite gente bacana e querida (excluídos os racistas, machistas, homofóbicos e outros boçais de categoria assemelhada)!

14.10.15

“Assédio ideológico”, mais uma canalhice dos conservadores

Dentre as inúmeras novidades com as quais os conservadores nos brindam diariamente – no pior Congresso eleito após a redemocratização – uma passa de todos os limites: o patrulhamento da ação dos professores, com a figura do assédio ideológico.
Leiam o excelente artigo do Walter Takamoto pubicado na revista Caros Amigos em 13/10/15.

O grande irmão e a escola pública
Aos poucos o Grande Irmão projeta seus olhos e garras sobre as escolas públicas, seus professores, alunos e pais.
Não mais bastam ter o controle sobre as cartilhas, livros, avaliações, sucatear as escolas públicas, impor ao magistério salário indigno e jornada extenuante.
É preciso controlar o que se ensina e como se ensina. É preciso garantir que todos lá estejam para serem controlados e punidos caso não cumpram com o que deseja o Grande Irmão.
Não, não se trata de enredo de filme ou texto ficcional. É o que tramam os parlamentares no Congresso.
O deputado do PSDB do Rio Grande do Norte, Rogério Marinho, apresentou o projeto lei 1411/2015 que prevê a prisão de 4 a 16 meses, além de multa, para o professor que praticar “assédio ideológico” em sala de aula. E a punição ao professor poderá ser ampliada em 50% se em decorrência do assédio o aluno for reprovado, receber nota baixa ou apresentar prejuízo em sua vida acadêmica. Alguns poderão considerar que esse projeto é um caso isolado, uma iniciativa de um parlamentar irresponsável, como tantos outros que se elegeram por força de igrejas, clientelismo ou recursos financeiros abundantes.
Só que não.

Leia o artigo na íntegra clicando aqui.

18.9.15

Terremoto no Chile - infográfico da Folha de São Paulo

Sobre o terremoto no Chile

Encontre o erro sobre o terremoto no Chile.#geografia #Globo #Chile

Posted by Geografia Depressão on Quinta, 17 de setembro de 2015

18.6.15

Retratos de Fé



A TV Brasil apresenta muitos programas muito interessantes, dentre gostaria de destacar e indicar o programa Retratos de Fé.
Sempre às quintas-feiras, 20 horas, com reprise nos sábados, mesmo horário.
Programa sério, sem ser enfadonho, que dá voz a todas as religiões e também aos ateus.
Compensa separar um tempinho para vê-lo!
Quem nunca viu basta clicar aqui para ter acesso a todos os episódios.

2.6.15

Que mal faz o comercial de O Boticário?



Estou aqui cismando...
O que leva seres humanos, dotados de alguma inteligência (supostamente) a gastar tanta energia contra um comercial de 30 segundos?
Esta campanha, movida pela turma do Malafaia (e assemelhados), contra o comercial de O Boticário, que mostra casais gays trocando presentes no dia dos namorados, me deixa macambúzio e deveras sorumbático.
São 30 segundos de imagens bonitas, sensíveis, que não ofendem e nem agridem ninguém!
Não seria mais bacana se esses vadios se ocupassem em amar?
Por que não procurar o júbilo da vida, o prazer dos encontros e os encantos do gozo?
Ou, deixando a erudição e a delicadeza de lado, por outro lado, que tal cuidar do próprio rabo?
Para quem não viu o vídeo do "demônio", que ameaça destruir os lares desse Brasil varonil e puro, que abala a macheza de tantos iludidos é só clicar aqui.