4.6.07

Os protestos do Senado

O Senado brasileiro fez um “pedido” ao presidente Hugo Chavez: que reconsiderasse a não renovação da concessão do canal golpista RCTV.
Refresquem minha memória: foi feito o mesmo pedido ao presidente Bush quando este, passando por cima dos debates da ONU, invadiu o Iraque?
Sinceramente, não me lembro!
A propósito desse embrulho todo, volto a sugerir fontes alternativas, como o blog Vi o Mundo, do Luiz Carlos Azenha, nele existe um link para o documentário A revolução não será televisionada.
Neste documentário fica demonstrada de forma clara e inequívoca a participação destacada desta rede de TV no golpe de estado de 2002.
Por falar nesse golpe não me lembro do posicionamento do Senado brasileiro quanto a este episódio também.
Em outro texto do mesmo blog o autor defende a saída das empresas brasileiras, públicas e privadas, dos negócios com a Venezuela, diz ele, ironicamente, que só criticar não vale, tem que tomar atitudes e a melhor seria então a retirada da Petrobras e da Braskem da Venezuela, para ficarmos com esses dois exemplos.
Leia a matéria clicando no título a seguir: Em defesa da RCTV, empresas brasileiras deveriam deixar a Venezuela.
O que estariam dizendo esses senhores do Senado se o presidente Hugo Chavez, ou qualquer outro, solicitasse mais empenho das autoridades brasileiras na apuração dos casos de corrupção? Ou que seria melhor que os senadores, deputados, prefeitos, ministros e etc. acusados se afastassem dos cargos até o fim das apurações?
O Senado da República tem muito com o que se preocupar para ficar tomando as dores de empresário estrangeiro.

8 comentários:

João disse...

Deveria lembrar, ao menos, que o governo brasileiro se posicionou contra.

Como contra o companhêro Chavez, nenhuma menção do executivo foi feita, entrou em cena o senado.

Se Chavez achou que a RCTV participou de um golpe de estado - algo que adora, desde que seja feito por ele próprio - poderia aconá-la na Justiça, que é oque se faz em estados democráticos.

Porém, mesmo com o poder que se deu de indicar nomes para a Suprema Corte, não quis passar por tanta dificuldade e trabalho...

Mais fácil esperar a concessão acabar, dar um tempo para ver se a TV se enquadrava e parava de criticá-lo.

Chavez chamando alguém golpista é a tradução literal da idéa de Lenin "xingue-os do que você é, acuse-os do que você faz"

Prof Toni disse...

"João", o seu primeiro parágrafo não combina com o segundo...

João disse...

Reli pra ver, combina sim. Lamento que não tena compreendido. E João é meu nome, não havendo necessidade de ser posto entre aspas

Livia Ferratti disse...

Sei que é um pouco inutil postar algo assim, mas eu preciso dizer que acabei de achar esse blog e gostei muito do conteúdo. Parabéns.

Prof Toni disse...

Veja, como meus poucos neurônios estão preguiçosos hoje:
"Deveria lembrar, ao menos, que o governo brasileiro se posicionou contra. Como contra o companhêro Chavez, nenhuma menção do executivo foi feita, entrou em cena o senado."
Você diz que o governo brasileiro se posicionou contra e depois diz que o executivo não fez nenhuma menção... Sinceramente, não entendi.

Prof Toni disse...

Livia, obrigado pelo elogio...

Lúcio disse...

É dificíl entender a relação do Senado brasileiro com uma mídia democrática na Venezuela. A grande maioria de nossos congressistas são concessionários de rádios e tv, por um acaso já pensaram em tornar mais democrático o noticiário de suas próprias emissoras em favor de um público melhor informado? A informação no Brasil não é democrática, mas nunca pararam pra discutir esse assunto.
E confesso não ser dos maiores fãs de Chávez, mas apóio a decisão dele em não renovar a concessão da RCTV. Aquele canal era um desserviço a nação venezuelana.

Riccardo disse...

Realmente, o Senado não tinha nada que querer comentar sobre o país dos outros. Mas chamar a mídia Venezuelana de democrárica é piada né?