9.9.07

A primeira UTI a gente nunca esquece

Em março último fez 2 anos que passei uma temporada na UTI de um hospital próximo da minha casa.
Na verdade eu não estava sentindo nada, apenas uma coisa esquisita. Passei no hospital para verificar a pressão: 25 por 15!
Naquele dia tinha pensado em passar no INCOR, mas tive medo de virar estudo de caso: obeso, hipertenso e diabético, internação na certa!
Pois não é que o médico me colocou em observação? Sim, medicado, sem comida (isso é deveras triste) e observado.
Deu 18 horas e a pressão continuava firme nos 25 por 15! Danada!
Ele chamou minha esposa e disse que eu precisaria ficar internado.
Vendo o ar de preocupação nela resolvi fazer uma brincadeira, perguntei à enfermeira se no hospital tinha TV a cabo, ao que ela me respondeu:
- na UTI não!
Aí a ficha caiu! O que já estava ruim ficou muito pior quando ela me trouxe aquele avental ridículo! Parecia uma tapa sexo, um selo!
E aquela abertura atrás? Um verdadeiro vendaval, parecia que a minha bunda tinha ido pra geladeira.
Passei a noite ouvindo os “piiiisss” dos instrumentos no box da UTI.
Acordei no dia seguinte com vontade de ir ao banheiro. A enfermeira me trouxe um negócio de metal. A parte líquida sem problema, agora quanto ao sólido...
Pedi para ir ao banheiro com minhas próprias pernas, me foi negado! Vejam, o direito de um ser humano levar a sua bunda gelada até o banheiro com suas próprias pernas para uma simples cagadinha, proibido!
Fiz um escarcéu! O médico autorizou desde que eu fosse de cadeira de rodas. Tudo bem. Quando sentei na cadeira percebi que ela não tinha fundos! Humilhante!
Logo depois chamei a enfermeira e lembrei a ela que estava fazendo 24 horas que eu não tomava banho e, sem banho nem eu me suporto.
Em seguida vem moça, com uma bacia com água e alguns paninhos. Disse a ela que só podia ser brincadeira. Para me dar banho daquele jeito ela precisaria de uma vap!
Depois de muita briga lá vou eu na cadeira de rodas sem fundos, tomar banho vigiado pela enfermeira.
Que delícia. Meia hora no chuveiro quente.
Saí alguns dias depois com a recomendação de um regime alimentar sério e diminuição do estresse. Isso é papo para outra postagem.

Texto publicado em 12/8/2006

2 comentários:

denise disse...

rsrsrsrsrsrs........me desculpe,mas é cômico...

Prof Toni disse...

não era você, né?