1.2.07

A voz e o violão



A voz e o violão
ROGERIO SANTOS
(Para Chico Pinheiro e Luciana Alves)

Quando duas almas se encontram
Nas notas de uma canção
Disparam luz no infinito
Camarinha de bordão

Como a vela tem o vento
E vive por esse dom
Guarda uma voz feminina
Os anseios do violão

De mãos dadas atrelados
Engravidados de som
Música e amor dedilhados
São caminhos de canção

Se enamoram pelo espaço
Destino de decibéis
Amplificando compassos
Juntinhos ganhando o céu

Por entre estrelas, satélites
Ondas de amor pelo breu
Até chegar aos limites
Nos braços de Deus e ateus

Quando uma voz feminina
E os acordes do violão
Sabem que são pela sina
Ritual de comunhão

Os dedos que tocam as cordas
Com carinho e vibração
Beijam a boca de quem canta
Numa escala ao coração

Quando duas almas se encontram
Nas notas de uma canção
Buscam na voz feminina
Todo anseio de amplidão

Para ler esta e outras obras do poeta visite o blog Folha de Cima.

Um comentário:

Vinícius disse...

Muito lindo.