31.8.07

"Aquecimento Global é terrorismo climático"

Esta é a manchete que a Revista Istoé reservou para a entrevista com o professor Luiz Carlos Molion, Pós-doutor em meteorologia formado na Inglaterra e nos Estados Unidos, membro do Instituto de Estudos Avançados de Berlim e representante da América Latina na Organização Meteorológica Mundial.
Já faz algum tempo tomei contato com as teorias do prof. Molion, figura muito respeitada por aqueles que o conhecem e, por vezes, desrespeitado entre aqueles que teimam em olhar a ciência como se fosse religião: infalível, dogmática e irrefutável.
Vejam uma das repostas do professor:
“É difícil dizer que o aquecimento é global. O Hemisfério Sul é diferente do Hemisfério Norte, e a partir disso é complicado pegar uma temperatura e falar em temperatura média global. Os dados dos 44 Estados contíguos dos EUA, que têm uma rede de medição bem mantida, mostram que nas décadas de 30 e 40 as temperaturas foram mais elevadas que agora. A maior divergência está no fato de quererem imputar esse aquecimento às atividades humanas, particularmente à queima de combustíveis fósseis, como petróleo e carvão, e à agricultura, atrás da agropecuária, que libera metano. Quando a gente olha a série temporal de 150 anos usada pelos defensores da tese do aquecimento, vê claramente que houve um período, entre 1925 e 1946, em que a temperatura média global sofreu um aumento de cerca de 0,4 grau centígrado. Aí a pergunta é: esse aquecimento foi devido ao CO2?”

Clique aqui e leia-o na íntegra.

2 comentários:

Cris disse...

Perdoe a minha profana ignorância, mas não são os países ricos que espalham exatamente o contrário? Afinal, eles são os menos interessados em fazer qualquer coisa para evitar o aquecimento se isso prejudicar suas economias.

Prof Toni disse...

Mas veja que eles tentam "culpar" os países pobres pela "aquecimento". Você assistiu UMA VERDADA INCONVENIENTE? Compensa vê-lo e refletir sobre o que tem saído na mídia. Compensa ler mais coisas do prof. Molion também.