3.2.09

A mídia transforma em verdade a versão de um dos lados do conflito

Ontem fui surpreendido pelo Record News com a cobertura sobre os conflitos na favela de Paraisópolis.
Cenas que lembravam a asquerosa invasão que Israel promoveu em Gaza recentemente.
Bombas explodindo, tiros, barricadas, muita fumaça e notícias de mortos e feridos.
UOL, Terra, G1 e demais portais soltaram a informação de que a reação da população era por conta do assassinato, em confronto com os policiais, de um morador fugitivo do sistema prisional.
A Folha de S. Paulo de hoje apresenta uma matéria equilibrada, redigida por três bons jornalistas, mas que não apresenta nenhuma novidade e muito menos um “outro lado”.
Já no Estado de S. Paulo o “outro lado” é apresentado, também de forma equilibrada (clique aqui para ler).
Segundo informações que circulam na favela o confronto foi uma reação a EXECUÇÃO de três pessoas, uma delas o indivíduo apontado pela polícia, que estavam ao lado de um carro roubado.
Os executores eram policiais.
É muito comum entre a população pobre e/ou negra da periferia de São Paulo o sentimento de ódio despertado pelas forças policiais. Ou medo. O que dá no mesmo, pois o primeiro sentimento é fruto do segundo.
Basta verificar o grau de violência das forças policiais e contra quem, preferencialmente, essa violência é praticada, de forma indiscriminada.
Falta a nossa imprensa esse saudável hábito, como fez o Estadão no caso, de ouvir e publicar o outro lado.
Falta ainda mais investigação e também jornalistas competentes para escrever textos claros e corajosos, que não se limitem a replicar o que dizem as autoridades ou vender proteção para criminosos da patota.

2 comentários:

Marina disse...

Nossa realmente como sempre a midia esta do lado 'da elite' e da policia!

vi noticias sobre o caso, afinal isso foi pertinho da minha casa, que tratavam os manifestantes como vandalos, ladroes.. e como se num houvesse um motivo.

mas ja deviamos estar acostumados com isso.

saudade das suas aulas toni!
=)

bjoss Marina Gama

K.Portes Leão disse...

Olá Toni, como vai?

São terríveis essas imagens e notícias, mesmo.

Mas não é nada surpreendente.
Independentemente de quem foi morto pela polícia, bandido ou mocinho, é absurda a postura da polícia - isso, claro, na periferia - obviamente causando ódio e medo, como você mesmo disse.

Grande abraço!
portesleao@yahoo.com.br
http://www.flickr.com/photos/katiaportes

http://www.contoscontragotas.blogspot.com