2.12.07

Corinthians na Série B do Campeonato Brasileiro

Foto no portal Terra

Pois é, até hoje só o Palmeiras, dos grandes clubes de São Paulo, havia rumado para a Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol, além da querida Portuguesa, uma espécie de segundo time de todos torcedores da capital.
Não podemos esquecer que o São Paulo F. C. também passou por tal experiência em 1990, no Campeonato Paulista, mas por uma dessas “artimanhas” das regras brilhantes, que sobram na cabeça da cartolagem, subiu no mesmo ano.
Clique aqui e veja a lista de rebaixados e promovidos dos Campeonatos Paulistas.
Em tempos mais remotos, quando o Campeonato Brasileiro foi organizado em Taça de Outro e Taça de Prata, Corinthians e Palmeiras flanaram por esta “taça de segunda divisão”, já o Santos e o Vasco só não tiveram o mesmo destino (1983) por intervenção da CBF.
Aqui um histórico desse processo de triste lembrança, com campeonatos gigantescos, com 40 clubes ou mais.
Dito isto, vamos pensar sobre os acontecimentos deste Campeonato.
O Timão amargava a triste sina da aliança com a máfia russa. De certa maneira tal aliança foi convalidada por todas aquelas pessoas sem ética, que pensavam que o dinheiro chegando e trazendo jogadores pouco importava a sua origem.
Isso se aplica a diretoria, a que foi destronada recentemente e boa parte desta, que desonrou a tradição e o nome do Corinthians, mas também às Organizadas que achavam válidos estes expedientes nefastos.
Escândalo atrás de escândalo!
Alguns órgãos de imprensa fizeram matérias enormes apontando os problemas da “parceria”: as revistas Caros Amigos e CartaCapital, além do diário Lance foram os mais enfáticos. Outros começaram bem, mas depois, misteriosamente, tiraram o caso da pauta.
O resultado desse desastre anunciado (era só ler o blog do Juca Kfouri) ofereceu-nos um time medíocre, sem planejamento, sem comando e, por fim, sem dinheiro.
Jogo após jogo o Timão fez por merecer a queda.
Tudo bem que o árbitro mandar voltar um pênalti duas vezes, como aconteceu no jogo do Goiás, é incomum, penso que até inédito neste brasileiro, mas isso não elimina o nosso maior pecado: o time é muito ruim!
Sinto saudades do futebol romântico de décadas passadas. Nasci em 1962 e esperei 15 anos para ver o meu time campeão.
O Corinthians de 1977 não era lá essas coisas, mas que garra, que vontade de vencer!
Como chorei naquela noite que Basílio nos tirou o peso da alma!
Quem o fará agora? Lulinha? Felipe? Dentinho?
Espero que os meninos do Terrão de Itaquera tenham chance, assim como espero, embora não acredite, que essa diretoria caminhe pela ética e pela decência.
Disputar a série B não é novidade para grandes times, conforme demonstrei no início do texto, resta-nos torcer para que o time tenha a dignidade de vencer em campo, no jogo de bola honesto, limpo, raçudo como só o Corinthians sabe ser e, se possível, jogando bonito!

6 comentários:

Luiz Eduardo disse...

Ser Corinthiano é ir além de ser ou não ser o primeiro...
Ser Corinthiano é ser também, um pouco mais brasileiro...

Eu nunca vou te abandonar.

R.C disse...

Profe, sou curintchano filho de curintchano, mas nunca fui roxo. Por que? Porque nunca vi o Curticha jogando um futebol bonito. Sim, claro, sempre foram esforcados, mas nao muito mais do que isso. Nao vivi '77, mas pela sua descricao, ganharam quase como ganharam quando o melhor jogador do time era um argentino :S.

Nao vejo nenhum dos times brasileiros, atualmente, jogando muito melhor do que os demais. O Curticha na segunda te me entristece, mas que era merecido... Ah, isso era.

abraxao

RF

Prof Toni disse...

Luiz Eduardo, hoje na escola onde leciono estava bonito de ver, os corinthianos uniformizados, com orgulho da história do clube, que não pode ser apagada por um campeonato desastroso.

Prof Toni disse...

Roy, já tivemos times memoráveis, que encantavam. Em 1974 o time era boma, na década de 80, a saudosa Democracia Corinthiana o time jogava por música. Mais recentemente, um elenco dirigido pelo Parreira também dava gosto de ver jogar. Sem contar aqueles times que só a história nos apresenta, como o do início dos anos 50, ou ainda o grande vitorioso dos ano 30, quando o futebol ainda engatinhava.

Patti disse...

Sou palmeirense, mas sei como é sofrido estar na segunda.

Agora, o que o "timão" tem que fazer é se reestruturar! Desde a diretoria até os reservas do time. Para que façam um belo 2008. Tudo bem que é série B, mas também temos times grandes lá e não vai ser fácil. Eles tem que se organizar e agir com inteligencia...

Ae, depois de muito tempo, a portuguesa volta! Fico feliz.

Gilberto disse...

Bom... poucas vezes eu concordo com os comentários proferidos na Rede Bobo de televisão... Mas a menção ao pênalti foi certeira: "A regra (no Brasil) é clara - Se o goleiro se deslocar, que volte a cobrança - Então, o árbitro preferiu não ser lembrado por ter cometido o erro que mexeria com rebaixamento/permanência de times tão comentados do cenário nacional.
Portanto: Parabéns ao corajoso árbitro! Não custa lembrar que todos os corinthianos dormiram no domingo e acordaram na segunda...rárárá