18.10.08

Polícia x Polícia

A blogosfera continua nos brindando com ótimas surpresas! Rodrigo Vianna agora está blogando também.
Outro dia falei da volta do Blog do Mino, na sequência li o Balaio do Kotscho.
Hoje destaco um texto que retirei do Blog do Rodrigo Vianna, leiam:


"CAOS NA POLÍCIA"! "ESTADO SEM LEI"!IMAGINE AS MANCHETES SE O GOVERNADOR FOSSEBRIZOLA OU ALGUÉM DO PT?

Tenho 20 anos de Jornalismo. Quase todos na rua, como repórter. E nunca vi algo parecido com o que se passou ontem, a poucos metros do Palácio dos Bandeirantes.
Estava na redação da TV Record quando as primeiras imagens apareceram na TV. Chefes de Reportagem (alguns com ainda mais experiência que eu no Jornalismo) pareciam catatônicos: o que é isso? No Estado mais rico (?) do país, a barbárie fardada!
Que nome você, leitor, daria para um confronto armado entre Polícia Civil e Polícia Militar?
"Caos na segurança" seria o mínimo, não?
Ou, ao menos, "crise na polícia".
Os jornalistas dão o nome de "chapéu" àqueles títulos colocados no alto da página, e que em coberturas especiais se repetem, pra marcar o noticiário. Você já deve ter visto nos jornais... Dois anos atrás, durante meses, fomos bombardeados com páginas e mais páginas na imprensa sobre o "caos aéreo". O "chapéu" estava ali, a marcar e editorializar a cobertura sobre as falhas no sistema aéreo brasileiro
Pergunto: o que é mais grave: atraso em vôos ou polícia em greve?
Mas, abro a "Folha" hoje e não encontro o "chapéu" para o noticiário sobre o "caos na segurança".
As informações estão ali - com mapas, fotos, declarações.
Mas, é evidente o tratamento vip dado ao governo tucano por nossa imprensa.
Imagine se algo parecido tivesse acontecido num governo do PT, PCdoB, ou nos bons tempos de Brizola/PDT no Rio?
Qual seria a manchete? Quais seriam os "chapéus" estampados no alto das páginas?
"Estado sem lei", "Barbárie armada"...
(eu poderia inventar vários, porque durante um ano esse foi meu serviço, como redator do caderno "Cotidiano" da "Folha", o início dos anos 90)!
Essa falta de "combatividade" (!) da imprensa escrita com o governo tucano talvez explique porque o tom político na cobertura tenha partido de onde menos se esperava: ontem, era Datena, na "Band", quem cobrava uma palavra do governador!
Cobrava daquele jeito dele, mas cobrava. É o que se espera dos jornalistas numa hora dessas.
Por que Datena pode cobrar e a "Folha" não pode?
O maior jornal do país trata José Serra como se ele anda fosse o editorialista levado para trabalhar na Barão de Limeira pelo seu Frias, nos anos 80.
Serra é da casa, né?
Serra não pode ser cobrado.
Ninguém bota "chapéu" no Serra!

Um comentário:

Renato disse...

olha, lembrem-se de 2006, quando da crise do pcc, tentaram dizer que era a mando do pt..., dos comunistas, enfim, ........
a folha, veja, etc, etc, estão apenas cumprindo o papel deles de protegerem a falsa elite desse país, que está triste porque ainda não entramos em crise(culpa do Lula, onde já se viu privar o Brasil de uma crise dessas)e ainda dão atenção quando esse ser dissimulado que quer ser presidente da Republica(valha-me nossa Senhora, Zé Serra não)botando a culpa na oposição sem nem seuqer saber direito que tava acontecendo.
Mas é assim, demo-cracia dos neo liberais é só quando é conveniente.