5.11.07

O processo criativo da "nossa mídia"

Induzido por um artigo do Luiz Carlos Azenha, do blog Vi o Mundo, fiz uma visita ao blog Faz Caber, que retrata os bastidores da Revista Época.
Fiquei abismado com a cara-de-pau da galera.
Vejam as “explicações” para a capa da edição que apresentava a Venezuela como uma ameaça bélica ao Brasil:

Capa da semana
Para fazer a capa desta semana foi feita uma pesquisa de imagem muito específica. O presidente da Venezuela Hugo Chávez teria que estar com cara ameaçadora. Foi muito difícil, ele tem uma cara gorda e simpática, não dá medo em ninguém. A imagem que mais chegou próximo do objetivo foi a que ele está de boina vermelha olhando para o lado esquerdo. Para deixar a imagem ainda mais forte, o nosso ilustrador Nilson Cardoso fez um trabalho de manipulação na imagem original, até chegar a este resultado final.
O que acham? Façam seus comentários
Marcos Marques - diretor de arte

Vejam a “obra de arte”:





4 comentários:

Paulo disse...

Estamos tendo aulas de jornalismo, gratuitas pela internet.
Primeiro aprendemos a a fazer jornalismo "testando hipóteses", com o grande Ali Kammel.
Agora aprendemos como manipular uma capa para atingir o objetivo da reportagem.
Acredito que até o final do ano, já posso me canditar a uma vaga na FSP, O Globo ou Veja.

Guilherme disse...

Fala professor!
Quem escreve é o Guilherme, ex-aluno do Pueri Domus que concluiu o colegial no final de 2006. Espero que você lembre de mim. Enfim, encontrei seu blog esses dias e espero poder participar das discussões com perguntas e opiniões válidas. Primeiramente, gostaria de sugerir que você fizesse um post explicando por que você acredita que o fato de Hugo Chávez ter comprado mais de 100 mil fuzis, armamento de guerra pesado e caças russos de última geração não é um acontecimento preocupante para a América Latina e até mesmo para o mundo. Gostaria também de lembrar que revistas como a Veja e a Época são claras em relação às idéias que defendem. Sendo assim, selecionam suas capas de acordo com a opinião que desejam expressar, assim como fazem as revistas Carta Capital ou Caros Amigos. Ninguém é obrigado a comprá-las.
Um abraço!

Prof Toni disse...

Claro que lembro Guilherme, é um prazer tê-lo por aqui. A questão da informação não é meramente de mercado, principalmente quando temos grupos gigantescos controlando várias mídias, como é o caso dos grupos Globo e Abril, é uma questão de democracia. Quanto a assumir o "lado" tenho minhas dúvidas quanto à Época, Veja, Folha de S.Paulo, O Globo e outros congêneres, pois eles disfarçam opinião (que é um direito da empresa expressá-la) como notícia e isso é desonesto. Só para ficar nos órgãos que você citou, a CartaCapital assume suas opções eleitorais em editorial, o que, repito, é legítimo e foi, sem dúvida, a revista mais crítica a política econômica do governo Lula, que ela apoiou nas duas eleições. Entendo como arte aquilo que é estilizado e fica claro para o leitor. Assim a CartaCapital fez uma capa com o Bush com a cara daquele imbecil da MAD, isso ficou claro pra todo mundo que era "arte", agora a foto do Hugo Chávez manipulada só chegou ao conhecimento de especialistas, que acessam o blog Faz Caber. O mesmo digo da Veja. Uma coisa é colocar chifrinhos de demônio no Stedile, outra é uma foto-montagem com ele segurando uma arma. Abração.

Guilherme disse...

Faz sentido. Concordo em parte professor. Mas porque a compra dos armamentos? Acredito que o governo do Hugo Chávez deva ser respeitado internacionalmente já que, por mais questionáveis que sejam suas medidas, ele tem o apoio da maioria popular. No entanto, talvez por falta de conhecimento geopolítico, não entendo a razão pela qual Chávez investiu tanto em armas de guerra e isso me parece muito preocupante. Gostaria de saber a sua opinião a respeito.
Abraço