1.3.08

Que linda és Cuba III - A pré-escola

Até o ano de 1959 (ano do Triunfo da Revolução como dizem os cubanos) o atendimento às crianças antes da idade escolar era realizado por entidades beneficentes, que atendiam aos órfãos e desamparados.
Nos anos 60 surge a Federação das Mulheres Cubanas, que passa a organizar as necessidades das mulheres, que passavam a incorporar-se ao mercado de trabalho.
Criam-se os "Circulos Infantiles" e, ao mesmo tempo, Escolas para formar diretoras e assistentes, recrutadas dentro da militância revolucionária.
Em 1971 é criado o "Instituto de la Infância", com dois objetivos básicos: educar a criança de forma integral e aperfeiçoar o pessoal docente.
Os Circulos constituem a via institucional que atende às mulheres trabalhadoras, preferencialmente professoras e médicas, somando hoje um total de 1.113 centros atendendo a 16% das crianças cubanas entre 0 e 6 anos.
Aqueles que não conseguem o acesso aos Circulos passam a integrar o programa "Educa a tu hijo", composto por 9 livretos que são desenvolvidos com a Coordenadora do Programa, estabelecida em um Circulo, durante encontros que se realizam a cada 2 semanas. Por este programa são atendidas 68,84% das crianças. Interessante que até os dois anos de idade a responsabilidade por aplicar o programa é do médico de família (nunca é demais lembrar que 99,9% dos partos são realizados em hospitais).
Englobando os dois modos de atendimento, 94,71% das crianças cubanas estão integradas ao Sistema Pré-Escolar. Percebe-se que ele tem um caráter diferente das nossas creches. Ao visitarmos uma pré-escola nos chamou à atenção a reprodução do ambiente doméstico (tanques de lavar, enceradeira, etc.) e de ambientes de trabalhos diversos. A diretora nos explicou que isso se enquadra dentro da filosofia da educação cubana: educar para o trabalho, e ali se demonstra que não existe trabalho de "mulheres" e trabalho de "homens", numa tentativa de se combater o machismo.
As crianças de diferentes idades convivem no mesmo ambiente, para que as mais novas aprendam com as mais velhas (pedagogia indígena).
Existe uma modalidade diferente chamada de "Circulos Infantiles de Educación Especial", destinada a atender crianças com "desvantagens sociais" (mães hospitalizadas ou presas, alcoólatras, crianças abandonadas). As crianças permanecem em período integral no Circulo e ao final do dia são recolhidas por "famílias substitutas".
O sistema conta com 14.549 docentes, sendo que mais de 80% tem nível universitário.
(este texto é parte do relato do estágio educacional que fiz em Cuba em 1997)

2 comentários:

Leonardo Viana Baliza disse...

Toni depois de realmente ler só 2 partes do texto do estagio que o senhor fez por meio da USP e do outro lá em baixo (Viva Fidel), da pra perceber o quanto você ama Cuba!
Abraaço Toni.
Leonardo Viana Baliza

Ps: Eu só não li a 3ª parte porque o meu PC travou naquela hora, e só não leio agora porque eu teria que recomeçar tudo denovo, então deixa pra mais tarde! =D

Prof Toni disse...

Valeu pela visita! Volte mais tarde... amanhã termino o texto sobre o sistema educacional cubano. Abração.