3.3.08

Que linda és Cuba VII - Ensino Superior

O ENSINO SUPERIOR

O que mais chamou a atenção em Cuba foi a separação existente entre o bacharelado e a licenciatura. Por exemplo: caso queira ser geógrafo, o caminho é a Universidade de Havana, no curso de Geografia, agora para ser professor de geografia deverá cursar um Instituto Superior Pedagógico, de onde sairá "Licenciado em Geografia".
E não se trata, como aqui no Brasil, de um profissional de "segunda linha". A formação de professor se dá em 5 anos de estudos (período integral), os estágios começam já no primeiro ano (um dia por semana na escola, observando), sendo que atingem, no mínimo, 3.500 horas ao final do curso.
Pudemos observar também a importância da pesquisa científica para os professores. São desafiados a sistematizar constantemente, investigando e buscando soluções para os problemas, tanto no campo teórico, como no prático.
Para as escolas técnicas os professores são formados num Instituto Superior Pedagógico especializado, dedicado somente às disciplinas profissionalizantes.
Também existe uma intensa relação entre estudo-trabalho. Todos os integrantes das escolas trabalham por um determinado período no campo, de forma coletivizada (organizados em brigadas).
Da mesma forma que no técnico profissionalizante, a escolha profissional do universitário deverá atender as necessidades da sociedade cubana dentro do planejamento estabelecido pelo governo.
(este texto é parte do relato do estágio educacional que fiz em Cuba em 1997)

Um comentário:

carlos disse...

Carlos Henrique de Oliveira:
Toni, adorei este texto "O ensino Superior". não sabia que, em cuba, para ser geógrafo tinha que fazer faculdade diferente para ser professor geografia. Ainda não tive tempo de ler o resto... mas Vou entra depois até com mais calma. Bom... Abraços